A Associação Mirim é entidade fundada oficialmente em 09/08/1971, mas atua desde 1969 na cidade de Ourinhos.
        Seu surgimento deu-se em decorrência da cidade de Ourinhos estar situada num entroncamento Rodo-ferroviário bastante significativo, permitindo excelente fluxo nos transportes e por conta disso, receber uma população bastante itinerante, levando ao aumento dos problemas das famílias ourinhenses e daquelas que aqui chegavam, bem como sua prole.
        Naquela época foi também criada a entidade S.O.S. (Serviço de Obras Sociais) que atendia famílias migrantes e aquelas que se interessavam, eram fixadas na cidade, sendo os pais encaminhados ao mercado de trabalho e os filhos para a escola. Após algum tempo sentiu-se a necessidade de ocupar os filhos dessas famílias numa atividade produtiva e ao mesmo tempo educacional.
        Com a promulgação do Decreto 2318/60 – Projeto Bom Menino, foi possível criar um mecanismo com o objetivo de atender adolescentes carentes de nossa cidade, visando ampara-lo, educa-lo e encaminha-lo ao mercado de trabalho.
        No decorrer dos anos a entidade foi aprimorando-se segundo critérios de admissão de acordo com a LOAS (lei n. 8.742/93) e dentro de um programa sócio-educativo, tendo em vista o E.C.A. (lei 8.069/90) onde o adolescente é valorizado e respeitado como pessoa em desenvolvimento numa proposta de inserção e acompanhamento no mercado de trabalho, como aprendiz, baseado na Lei n. 10097/2000 e regulamentada pelo Decreto n. 5.598/2005.
MISSÃO INSTITUCIONAL:
        Atender adolescentes, preferencialmente oriundos de famílias de baixa renda, permitindo sua inclusão na comunidade, garantindo a formação profissional e a inserção no mercado de trabalho, resgatando a cidadania com compromisso e responsabilidade, onde cada adolescente vai buscar ocupar seu espaço na sociedade de forma a não reproduzir a história de vida dos pais, mas ter oportunidades, despertando o potencial latente.
DIRETRIZES:
        Visa principalmente dar ênfase ao aprendizado prático profissionalizante como forma de crescimento pessoal e social, respeitando-se a condição peculiar de pessoa em desenvolvimento do adolescente, num relacionamento de integração e complementaridade entre estagiário (mirim), família, entidade; colaborador e comunidade.
JUSTIFICATIVA:
        Um dos mais graves problemas enfrentados pelos países latino-americanos é a falta de mão-de-obra qualificada e uma parcela significativa da população de Ourinhos é composta de famílias de baixa renda cuja, mão-de-obra desqualificada contribui para manter o baixo nível sócio-econômico, levando-as a residirem na periferia da cidade em condições precárias. Como em todo o interior paulista, Ourinhos, desponta para o desenvolvimento e já detém em sua realidade política problemas que refletem a atual situação do país, como por exemplo: desemprego, baixos salários, drogas e prostituição na adolescência, evasão escolar, famílias desestruturas que não conseguem o mínimo necessário para sobreviver com dignidade. A Instituição situa-se no município de Ourinhos, que faz divisa com o Estado do Paraná, tendo uma população de aproximadamente 100.000 (cem mil) habitantes, sendo uma parcela dessa população de adolescentes na faixa etária de 15 a 17 anos num total de 4.328 (quatro mil, trezentos e vinte e oito) habitantes (dados IBGE – Prefeitura Municipal-SMDAS) dentre os quais apenas 77,2% freqüentam escola, e a economia que gira em torno da agricultura, comércio e industria. A adolescência é um período marcado pela luta da conquista do espaço individual que começa em casa, continuando na escola e também na sociedade onde vive, e “quando o adolescente começa a trabalhar, passa a ter uma idéia mais precisa do valor das coisas” (fonte Rosely Sayão, psicóloga). A entidade, preocupada com esses problemas, vem atuando, há vários anos, como apoio sócio-educativo ao adolescente, tendo como objetivo retirá-los da ociosidade, educá-los e encaminhá-los ao mercado de trabalho para iniciação profissional; resgatando a cidadania, os direitos e deveres e, principalmente, oportunizar desenvolver seu papel na sociedade demonstrando sua importância como ser humano no contexto social e como sujeito de sua própria história.
RESULTADOS OBTIDOS:
        A entidade atende uma clientela, com idade de 15 anos a 18 anos, com prazo pré-determinado de permanência, não superior a dois anos.
        Um dado importante é que 60% (sessenta por cento) daqueles que deixam a instituição por extinção de contrato, permanecem exercendo atividades como empregado na empresa onde estagiavam como aprendiz.